Arquivos da categoria: Vida de Programador

Dica de jogo para iOS: Game Dev Story

Faz um bom tempo que eu não dou uma dica de game ou app no meu Blog. Esta semana, lendo alguns artigos na internet, achei um jogo muito interessante para iOS. Ele se chama Game Dev Story. O objetivo do jogo é construir seu próprio estúdio de criação de games e administrar essa empresa, bem como o desenvolvimento de novos games.

Continue lendo Dica de jogo para iOS: Game Dev Story

Profissões promissoras em 2013 para a área de TI

Entre as profissões mais necessárias em 2013 encontram-se várias da área de TI
Entre as profissões mais necessárias em 2013 encontram-se várias da área de TI

Ontem, 17 de fevereiro de 2013, o Olhar Digital, grande portal de tecnologia no Brasil, publicou uma matéria interessante a respeito das profissões mais promissoras na área de TI em 2013. Segundo a matéria, os salários variam entre R$ 2000,00 para um simples estagiário até R$ 15,000 para um profissional de links patrocinados. O salário, porém, pode chegar até R$ 30,000 para um diretor de tecnologia (CTO). A matéria destacou também que, por serem escassos no país alguns profissionais de áreas como CTO, Analista de SEO, especialista em Mobile Marketing, profissional de links patrocinados e o Analista de Mídias sociais, a disputa na contratação desses especialistas é muito grande.

Outro destaque foi para o nível de conhecimento desses profissionais. A disputa por esses profissionais é tão grande que nem todos são bem qualificados. Falta qualificação na área. Mas como não há pessoal extremamente qualificado, pega-se os que estão trabalhando na área. Mesmo assim, alguns conhecimentos são indispensáveis. Podemos colocar na lista de conhecimentos primários o inglês, de preferência fluente e ter bem em mente os conceitos da matemática básica. Segundo uma das entrevistas feitas pelo Olhar Digital, conceitos como análise, estatística e probabilidade são muito importante na área porque se trabalha com resultados.

Segue abaixo o vídeo da matéria e ao lado o link da reportagem completa no Olhar Digital. Acesse a reportagem completa.

 

 

Alguns custam a entender…

Programadores são muitas vezes confundidos com outros profissionais da informática. Tirinha retirada do site Vida de Programador. Disponível em: http://vidadeprogramador.com.br/2011/02/28/voce-e-programador/
Programadores são muitas vezes confundidos com outros profissionais da informática. Tirinha retirada do site Vida de Programador. Disponível no seguinte link. Acesso em 17/02/2013.

Leia com atenção a tirinha ao lado publicada no site Vida de Programador. Se tu és programador, quase com 100% de certeza tu já passastes por isso e entendes bem a situação. Agora, se tu és usuário, …., continue lendo este post para entender a tirinha.

Por vezes fico indignado com a situação retratada na tirinha. Isso acontece muito comigo. Não raro, depois de saberem da minha formação na área da programação as pessoas me perguntam se eu poderia arrumar seu computador, impressora, gadget, etc. A maioria dos usuários não tem na mente a diferença entre um Técnico em Informática especializado em manutenção de hardwaresoftware de um Técnico em Informática especializado em Desenvolvimento de Sistemas (aplica-se também ao pessoal da Ciência da Computação e demais cursos superiores em Tecnologia em TI ou seja, Tecnólogos). Porém, eles tem esta diferenciação entre um Doutor formado em Odontologia e um Doutor formado em Medicina ou mesmo Veterinária. Por que não conhecer a diferença na área de TI?

Bem, para os usuários saberem, um programador, de modo específico, programa. Isso quer dizer que a tarefa dele, essencialmente,  não é consertar coisas, mas sim solucionar problemas de outro tipo – criando facilidades em termos de software para os usuários em geral. Não estou dizendo aqui que um programador não saiba consertar um computador, por exemplo. Na realidade, muitos sabem. Mas esse não é o seu trabalho. Este é o trabalho do técnico em TI responsável pela manutenção de hardware. Embora não seja o termo correto, em alguns lugares estes últimos são chamados de CPD’s.*

Portanto, caro usuário, ao saber que seu amigo ou conhecido é um programador, não julgue que ele saberá resolver todos os seus problemas. Ele constrói coisas, cria coisas. Quem conserta coisas é o outro profissional. A função primária do programador é programar e, talvez, consertar/corrigir o programa que ele mesmo fez. Assim como você não chamará o Médico dentista para uma dor no joelho, não chame um programador para consertar seu computador.

 

 

_____

*O termo CPD não é o mais correto porque este termo significa Centro de Processamento de Dados. Este é o local onde se armazenam os dados de uma organização, em geral em um servidor.

Salário de programador

Salários não compatíveis, alto nível de estudo (principalmente fora da academia) traz infelicidade a muitos programadores. Tirinha do site Vida de Programador. Disponível em (http://vidadeprogramador.com.br/2013/02/08/procurando-emprego/)
Salários não compatíveis, alto nível de estudo (principalmente fora da academia) traz infelicidade a muitos programadores. Tirinha do site Vida de Programador. Disponível em (http://vidadeprogramador.com.br/2013/02/08/procurando-emprego/)

Antes de mais nada, quero declarar aqui que, para minha atual função, carga horária semanal e localização geográfica, meu salário está bom, não posso reclamar. Porém, vejo sim que, em geral, programadores recebem um baixo salário. Para um programador mediano, supondo que ele trabalhe 8 horas por dia, 5 dias por semana, o salário gira entre R$ 1500,00 – R$ 3000,00 em algumas cidades do Rio Grande do Sul, tais como Caxias do Sul. Já declaro de antemão que não estou dando este dado de acordo com alguma fonte oficial. Esta base (R$ 1500,00 – R$ 3000,00) cheguei ao conversar com meus colegas de faculdade. Para quem não sabe, faço o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, na FTEC de Caxias do Sul.

Para muitos esse salário seria bom. “Porque você está reclamando?” Perguntariam alguns. Bem, o fato é que, sem nós, programadores, a vida como conhecemos seria alterada drasticamente. Será que não estou exagerando? Pense um pouco: bancos, caixas eletrônicos, sites, universidades, faculdades, empresas, bancos, governo, etc… Todos dependem de programadores. Já imaginou se fizéssemos uma greve?

Veja também o quesito tempo de estudo. Enquanto um médico estuda vários anos (em média 6 anos) para se formar com uma boa graduação, o programador, dependendo do curso estudará entre 2,5 e 5 anos (em média). Alguns não precisam nem fazer faculdade, é verdade. Também não estou tentando comparar a importância vital entre as duas profissões (do meu ponto de vista, a medicina é bem mais nobre). Mesmo assim, veja que, após os longos e árduos estudos de um médico, mesmo sem se atualizar, dificilmente ele não terá emprego. Talvez faça cursos e participe de congressos mas, mesmo assim, serão poucas ocasiões no ano. Lidar com tecnologia, porém, é outra história.

A única coisa que não muda na tecnologia são as mudanças

A vida de um programador é bem estressante. De fato, está entre as 10 profissões com profissionais mais infelizes (veja a lista abaixo). A tecnologia muda a todo momento. Quando comecei a programar, quando tinha menos de 16 anos, a tecnologia era uma. Hoje, é totalmente diferente. O mesmo não acontece toda hora com a medicina, por exemplo. Em questão de meses, às vezes dias, o que tu aprendestes hoje poderá ficar desatualizado. Se tu não gostas de ler, não sejas programador. Tu terás que ler, quase que diariamente a respeito de novas tecnologias, novos códigos, novas linguagens. Por vezes, você estuda anos uma nova linguagem de programação. Ela é a TOP. Você se torna expert. Dias depois, ela torna-se obsoleta. Você tem de estudar tudo de novo. Volta a ser um bebê. Os padrões estão mudando muito, mas muito rápido mesmo. Se parar de estudar, se atualizar, focarás para trás.

No nosso mercado, a atualização diária é de máxima importância. Cursos de aperfeiçoamento, leitura de livros, revistas, blogs, assistir palestras, aulas virtuais, conferências, webinars, etc… Tudo isso faz parte da vida de um programador. Muitas vezes, o programador passa a não ter vida. Vive para programar ao invés de programar para viver.

 

Muitas vezes o programador não tem vida. Vive para programar ao invés de programar para viver

Sei que, em alguns Estados da federação, o programador é muito bem recompensado. Em muitos países, isso vai além. Benefícios como férias ilimitadas, aumento progressivo de salário, participação nos lucros das empresas são o mínimo que pode-se oferecer a um programador. Vejo que, no Rio Grande do Sul, as empresas devam reconhecer melhor o programador. Não só as empresas, mas também os clientes. Caso contrário, haverá o que já ocorre, fuga de cérebros. Mas isso é um assunto para outro post.

Continue lendo Salário de programador

Café…. Quantos você tomou hoje?

Compartilho abaixo uma notícia postada hoje no portal do UOL:

Consumo de café do brasileiro bate recorde e chega a 83 litros por ano

Café sendo servido

O consumo de café por pessoa no Brasil bateu recorde na última temporada e foi o maior já registrado no país desde 1965, segundo dados da Abic (Associação Brasileira da Indústria de Café) divulgados nesta quarta-feira (6).

No período compreendido entre novembro de 2011 e outubro de 2012, o consumo per capita foi de 6,23 quilos de café em grão cru, ou 4,98 quilos de café torrado, o equivalente a quase 83 litros para cada brasileiro por ano, registrando uma evolução de 2,10% em relação ao período anterior.

A Abic observou que o consumo per capita, maior já registrado no Brasil, superou a marca de 1965 e ultrapassou o consumo por habitante da Itália, da França e dos EUA. No período, foi registrado o consumo de 20,33 milhões de sacas, alta de 3% em relação ao período anterior.

O Brasil é o segundo consumidor global de café, atrás apenas dos Estados Unidos. No consumo por habitante, os líderes mundiais são Finlândia, Noruega e Dinamarca.

“Os brasileiros estão consumindo mais xícaras de café por dia e diversificando as formas da bebida durante o dia, adicionando ao café filtrado consumido nos lares também os cafés expressos, cappuccinos e outras combinações com leite”, disse a Abic, em comunicado.

O consumo de café no país, segundo a Abic, deverá crescer até 3% em 2013, o que elevaria o consumo interno para cerca de 21 milhões de sacas.

“O crescimento deve ser impulsionado pelas expectativas de retomada do vigor da economia brasileira, pelo crescimento do poder de compra especialmente das classes B, C e D, com destaque para o aumento da renda e do consumo no Nordeste e no Centro-Oeste”, disse o comunicado da Abic.

Segundo a associação  da indústria do café, os preços dos produtos para os consumidores devem passar por “um certo realinhamento durante 2013”, uma vez que a maioria das empresas ainda não conseguiu repassar parcela dos custos da alta da matéria-prima de 2011, quando a commodity alcançou cotações máximas em décadas na bolsa de Nova York.

__________________

E aí? De quem vocês acham que é a culpa do aumento no consumo do café no Brasil? kk

FONTE: UOL – http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/02/06/consumo-de-cafe-do-brasileiro-bate-recorde-e-chega-a-83-litros-por-ano.htm. Acesso em 06/02/2013.

Não leia: Use a cabeça! Desenvolvendo para iPhone

NOTA: 2

Como comentei no post anterior, este livro é um completo desperdício de tempo e dinheiro. Explico o porquê.

Não Compre!
Não Compre!

Já em 2011, quando o adquiri, era uma perda de tempo e dinheiro. O livro está totalmente desatualizado. Não deveria nem ser mais vendido. Nem uma errata ele tem.

Desde os primeiros capítulos, começa-se com um projeto que será seria elaborado até o final do livro. Este projeto necessita de uma API do Twitter que NÃO É MAIS UTILIZADA pelo mesmo. Sendo assim, não adianta! Você não consegue finalizar o projeto. Além disso, os exemplos, códigos, tudo… está tudo desatualizado. Há códigos não mais usados pelo Objective-C e por API’s.

didática do livro não é ruim. Na realidade, seria muito boa. O método do Use a Cabeça é bom. Mas não adianta se não tem coerência e se o livro começa e termina errado. A tradução do livro também deixa MUITO a desejar.

Esta captura mostra que o livro Use a Cabeça - Desenvolvimento para iPhone está todo desatualizado e não possui uma errata se quer.
Esta captura mostra que o livro Use a Cabeça – Desenvolvimento para iPhone está todo desatualizado e não possui uma errata se quer.

Resumindo, o livro é horrível. Recebe de mim a nota 2. Não compre. Gastará tempo e dinheiro.

__________________________

DADOS DO LIVRO

Autores: Dan Pilone e Tracey Pilone;
Qualificações do autor: não sei.
Número de Páginas: 518;
Idioma: Português (traduzido do inglês);
Preço médio: R$ 53,00*
Onde comprar: Saraiva, Submarino, etc.

*Comprei o meu na SARAIVA, em 2011 por R$ 105,00.

Dica de leitura: Programando para iPhone e iPad

Para todos os que estão começando a programar para iOS, indico fortemente este livro.
Para todos os que estão começando a programar para iOS, indico fortemente este livro.

NOTA: 9

Ja faz algum tempo que venho tentando programar para iOS, em Objective-C, mais especificamente. Quando comecei a procura por uma boa leitura, há 2 anos atrás, achei somente um livro disponível em português. O livro, da série americana Use a Cabeça, chamado “Desenvolvimento para iPhone”, cujo título adquiri, veio a ser, para mim, um desperdício de tempo e dinheiro. No próximo post explicarei o porquê.

Porém, logo no início deste ano, ao procurar novamente títulos relacionados ao desenvolvimento de aplicativos para iOS, para minha surpresa, encontrei muitos em português. Com o pé meio atrás, decidi verificar um pouco a respeito do autor do livro (André Milani)  “Programando para iPhone e iPad”. Verifiquei que sua formação era boa e que já havia escrito outros livros, tais como “Construindo Aplicações Web com PHP e MySQL” e “MySQL – Guia do Programador”. O escritor é graduado em Ciência da Computação pela PUC-PR e pós-graduado em Business Inteligence na mesma instituição.

didática do escritor é muito boa. De uma nota  entre 1 e 10, dou 9 para ele neste termo. O autor explica muito bem. Não é difícil de entende-lo.

Quanto a coerência do livro, também não deixa a desejar. Os exemplos são bem elaborados, embora ele tenha preferido deixar o nome dos objetos e variáveis em inglês. Isso pode dificultar para programadores novatos poderem distinguir o que é comando nativo do Objective-C do que é nome de variável/objeto que podem ser alterados pelo programador. Fora isso, daria também uma nota em termos de coerência.

Há erros no livro? Sim, a pequenos erros. De código? Muito raros. Porém, o autor se preocupou em criar um site para o livro, onde ele disponibiliza uma errata do conteúdo do livro. Os erros quase que não prejudicam o conteúdo e seu aprendizado. Também está disponível para download no site os exemplos e arquivos que serão necessários para alguns projetos. Quanto a estes termos, também dou a nota 9 para o livro.

Resumindo, o livro é excelente. Recebe de mim a nota 9. Até agora, não encontrei livro melhor em português para o desenvolvimento de aplicativos para iOS. Recomendo fortemente sua leitura.

__________________________

DADOS DO LIVRO

Autor: André Milani;
Qualificações do autor: Graduado em Ciência da Computação pela PUC-PR e Pós-Graduado em Business Inteligance também pela PUC-PR;
Número de Páginas: 439;
Idioma: Português;
Preço médio: R$ 80,00*
Onde comprar: FNAC, Saraiva, Submarino, Novatec, etc.

*Comprei o meu na FNAC por R$ 71,20.